Blog

Carreira – Projetos sem Gerente e Gerentes sem Projetos

A função de gerente de projetos vem ganhando importância nos últimos anos à medida que as organizações compreendem o alto custo da ineficiência (The High Cost of Low Performance – PMI’s Pulse of the Profession™).

Porém, na ânsia por controle e processos padronizados, muitas empresas tornam-se ainda mais ineficientes com a implantação de novas metodologias de gerenciamento de projetos e softwares. É um pouco paradoxal, mas estamos oferecendo incentivos para que as pessoas busquem conformidade (compliance) em vez de resultados.

Segundo Bredillet (2008, 2014), os padrões de gerenciamento de projetos estão burocratizando e atrapalhando a gestão dos projetos. À título de exemplo, recentemente li alguns comentários de profissionais de gerenciamento de projetos sobre os projetos da Copa do Mundo de 2014, em especial sobre a construção dos estádios e infraestrutura das cidades. Um colega de profissão chegou a afirmar que se houvessem mais PMPs cuidando dos projetos do Governo Federal (e outros projetos públicos), os resultados seriam muito melhores.

Gestão Ágil de Projetos e Kanban

Gestão Ágil de Projetos e Kanban

Kanban é uma metodologia ágil com enfoque no fluxo de trabalho. Quando bem utilizada, provê eficiência e visibilidade para as tarefas. Cada quadro kanban deve conter informações adequadas para o seu público, o que nos leva à idéia do networked kanban.

A idéia está relacionada ao Lean e o fluxo de valor dos processos. Lean e kanban aplicam-se mais facilmente a processos previsíveis e repetitivos, de modo que o fluxo de valor e fluxo de trabalho possam ser mapeados e equalizados.

Scrum é uma outra metodologia ágil baseada na entrega de valor e iterações. Existe alguma confusão entre Kanban e Scrum, vistos como mutuamente excludentes. Porém, ganhos de produtividade podem ser obtidos unindo os conceitos dessas duas metodologias:

If Your Project Addresses the Wrong Problem, It Won’t Be Successful

If Your Project Addresses the Wrong Problem, It Won’t Be Successful

[:en]In my previous post, I emphasized the importance of engaging and involving stakeholders proactively in a learning process about project definition and planning. I highlighted soft systems methodology as a powerful problem-structuring method.

But how exactly can we incorporate problem-structuring methods into the project management practice? Are they really useful and feasible? Let me guide you through an example below, step by step, according to the Soft Systems Methodology.[:]

Want Satisfied Stakeholders? Guide Them Through a Learning Process

Want Satisfied Stakeholders? Guide Them Through a Learning Process

A successful project must satisfy stakeholders. But how can we agree in advance what success means if we don’t have all the information?

Although you cannot control stakeholders’ expectations, you can influence and persuade them. The key is to engage and involve stakeholders in value creation. Success hinges on a stakeholder-centered approach to project management.